quinta-feira, 26 de abril de 2007

A requalificação na Câmara da Covilhã


A Universidade Independente (UnI), suposta entidade emissora do certificado de habilitações entregue pelo sr. José Pinto de Sousa, no ano de 2000, na Câmara Municipal da Covilhã, para efeitos da sua requalificação profissional, afirma que aquele certificado “é forjado e já foi apresentada queixa-crime para apurar responsabilidades”.

Como aqui já referi, a Câmara Municipal da Covilhã tem a obrigação de suscitar a investigação acerca da veracidade daquele certificado de habilitações. Ou o sr. José Pinto de Sousa, por desempenhar as funções de Primeiro-Ministro, já não é funcionário da Câmara? Prefere a Câmara arcar com o ónus da conivência com uma situação de falsas declarações? A UnI sempre poderá invocar que desconhece quem terá forjado o citado certificado; a Câmara da Covilhã não poderá invocar que desconhece quem o entregou para a sua requalificação profissional. Esperemos que não demore a cumprir as suas obrigações legais.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial