sábado, 25 de abril de 2009

25 de Abril: que sempre viva em nós o amor à liberdade!


Dissipadas as ilusões dos sonhos, o que resta, parecendo pouco, é uma imensidão. Porque a liberdade não tem preço.

Que sempre viva em nós o amor à liberdade!

2 Comentários:

Às 8:32 da manhã, maio 03, 2009 , Anonymous ABRIL DE NOVO disse...

Pese embora o fim da festa - que foi bonita - e para além desta intensa saudade que arde no peito, fica como marco essencial o ter participado num momento crucial. E no fim, sempre ficou a liberdade, claro.

 
Às 4:23 da tarde, maio 05, 2009 , Blogger JMC disse...

Foi bonita a festa, foi. Tão bonita quanto não se vira igual em muitos anos, em muitos derredores. Bonita porque genuína e generosa, feita pelo povo em luta por aspirações legítimas, sem saber como concretizá-las, apenas desejando-as e procurando fazê-las acontecer um tanto atabalhoadamente.

Mais do que ter participado num momento crucial, para alguns o marco essencial é terem participado com a sua modesta contribuição activa, à medida das suas possibilidades, para que esse momento crucial ocorresse e se desenvolvesse.

E ficou esta coisa tão importante, mas frágil, que é a liberdade. Só quem lhe sentiu a falta lhe atribui o devido valor. Esperemos que as jovens gerações que a vivem aprendam a cuidar de tão delicada flor.

Obrigado pelas suas visitas.

JMC.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial