sábado, 13 de outubro de 2012

Um país entregue à bicharada


Pelo que vai transpirando do que será a proposta de orçamento do Estado, dissipada a fumaça dos tiros de intimidação disparados com sucessivos anúncios de medidas qual delas a mais gravosa, prepara-se mais um assalto aos bolsos dos trabalhadores e dos pensionistas. Do roubo de salários e de pensões a impostos sobre rendimentos do trabalho, vícios e património nada escapa a não ser o capital.

A quadrilha que tomou conta do Governo é composta por bichas propriamente ditas — bichonas sabidas e matreiras e bichinhas tímidas e envergonhadas — e por bichos — vigaristas de meia tijela, mamões variegados e empregados de banqueiros de diferentes matizes — que tudo fazem para se servirem e para satisfazerem com afinco os seus patrões.

Não se aproveita um, qual deles o mais palerma e desqualificado. Comparados com o Pinóquio que se passeia pelas Franças, uns são ainda mais vígaros e outros ganham-lhe em cinismo e em hipocrisia. Apesar do mentiredo, dos favores a banqueiros e das muitas negociatas, ele armava-se em forte e batia o pé aos credores. Estes são as vozes dos donos.

Triste sina a deste povo! Sem norte e de esperança perdida, não tarda ainda o ouviremos a suspirar: volta Pinóquio, estás perdoado!


0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial