sexta-feira, 20 de março de 2015

O Salgado no meio da insonsa mediocridade

Ele não era o DDT (dono disto tudo), mas era, talvez, o único banqueiro no MDT (meio disto tudo). Era o único espírito bem temperado de sal no meio de tanta insonsa mediocridade. No meio da família dos espíritos, de outros ricos que cagam de alto, sem classe e debitando lugares comuns, e de tantos amigos da onça que o incensavam, depois o abandonaram e agora o caluniam. E continua sendo um senhor, com os defeitos dos capitalistas, agravados nos banqueiros, e as virtudes de alguns homens. Espera-se que vá para a pildra, por uns bons tempos, porque aquilo não era tudo do nosso tio, dos santos espíritos, mas também de alguns profanos, e não se pode pôr e dispor do que é dos outros.

É confrangedor ver gaiatos e gaiatas e outros, já com idade para terem juízo, a esgatanharem-se e a esforçarem-se para tentarem perceber porquê um ror de empresas privadas do maior grupo empresarial do país (muito diferente de um aglomerado de mercearias e de centros comerciais) era gerido assim e não assado, como se um gestor de uma empresa privada tivesse de lhes dar satisfações. Imaginar-se-ão, porventura, donos disto tudo? Muito provavelmente, a alguns vontade não faltará para o serem, o que é uma pena, pois são bons rapazitos e rapariguitas. Espera-se que lhes passe célere, com a juventude.

Em vez de se preocuparem com inquirirem os responsáveis políticos (ministros, ministras e reguladores) por deixarem afundar — ou por contribuírem activamente para afundar, por não intervirem atempadamente — o segundo maior banco privado português, cuja falência ainda irá dar muito que falar na justiça e de que resultará a perda de muitos milhões para o erário público, quando salvaram outros de muito menor importância, e por proferirem afirmações sobre a solidez do banco que sabiam falsas e que levaram ao engano várias centenas de aforradores incautos, a gaiatagem emproa-se a alardear a sua ignorância e a pregar moral de pacotilha, quais virgens ofendidas, de que são exímios violadores. O puto do PCP, então, exulta ao ir-se apercebendo de como funciona o capitalismo e ao pregar a superioridade moral dos comunistas.

Mas que desgraça. Estamos bem aviados com uma tal fornada de politiqueiros.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial